Seis dias em viagem, sem eles

Desde há muitos anos que tenho de viajar em trabalho. Faz parte da área que escolhi. Fez parte do trabalho na agência de viagens onde estive 12 anos e faz parte do trabalho onde estou agora. Já deveria estar habituada, deveríamos estar, eu e eles, mas no momento de me despedir parece sempre a primeira vez.

Por experiência, reconheço que só lhes devo contar de véspera, ou até no próprio dia. Quanto maior for a antecedência que lhes contar, mais tempo andam a stressar com isso. A primeira viagem que fiz depois de nascer o João Maria, há cerca de 12 anos, ele tinha apenas um ano e um mês. Claro que me custou a mim o dobro do que lhe custou a ele. Quando cheguei o pai fez a surpresa de irem juntos esperar-me no aeroporto. Eu trazia uma mala cheia de saudade e necessidades, o bebé João encontrou no aeroporto um lugar cheio de curiosidades e tudo, nesse dia, tinha mais importância que o regresso da mãe. Não me esqueço do abraço que me deu, quando finalmente os seus olhos repousaram nos meus e se demoraram, para logo a seguir ficarem, os meus e os deles, molhados de alegria.

Cheguei ontem de uma viagem de seis dias, seis dias de mim sem eles e deles sem mim, seis dias que já terminaram e me trouxeram de volta a casa e aos meus. Foram também seis dias em que pensei que, para quem é mãe de 3 crianças pequenas, pode encontrar pelo menos 5 (pequenas grandes) vantagens em fazer uma viagem sozinha, de vez em quando.

  1. As malas – eu até gosto de fazer malas (detesto é desfazê-las), mas fazer mala para 5 é dose. Gosto de fazer apenas a minha mala, sozinha e com tempo, e poder escolher com calma o que vou vestir em cada dia.
  2. As manhãs – normalmente nas viagens de trabalho tenho de me levantar mais cedo do que o habitual, mas sabe-me bem vestir-me só a mim, descer as escadas e ter todo um pequeno-almoço já feito à minha espera, sem gritos, nem birras.
  3. As refeições – a preparação e a escolha das refeições numa casa de 5 é sempre um desafio. É bom estar 6 dias sem pensar no jantar e nos lanches da escola. Guardo sempre a terça-feira para almoçar com o mais velho e com a minha mãe. Também quero começar a organizar-me para conseguir almoçar uma vez por semana com cada um dos mais novos. Esta terça-feira não almocei com o João Maria, não fiquei à espera dele à porta do liceu (mesmo depois de ele já me ter pedido para eu esperar dentro do carro), não almocei a correr em casa da minha mãe, com ela sempre a pedir-me para comer só mais um bocadinho, não cheguei atrasada ao trabalho a seguir ao almoço.
  4. Um quarto de hotel e uma cama só para mim – esta não precisa de grandes explicações pois não? Uma cama sem visitantes de pés frios a meio da noite (mas que eu confesso que adoro e lhes digo muitas vezes que podem aparecer sempre que quiserem) e uma casa de banho só minha, que mesmo de porta aberta, tenho a certeza que ninguém vai entrar “Mãeeeee posso ficar aqui só um bocadinho?”
  5. Tempo para ler e pôr as séries em dia – tinha planeado adormecer com um braço por cima do mais recente do Afonso Cruz e o outro no écran do computador encostado ao  Jack e à Rebecca. Cá em casa sou só eu que delira com o This is us. O Kiki às vezes também gosta, mas eu desconfio que o que ele gosta mesmo é de se enroscar a mim na minha cama, enquanto eu respiro e me inspiro com a história fantástica desta família, ainda que seja apenas de ficção. Não li, nem vi um único episódio, e dei comigo muitas noites a pensar na falta que me fazem os beijinhos deles de boa noite, a pedirem que fique só mais um bocadinho, ou que conte só mais uma história.

É mais fácil não estar sabendo que eles estão bem, estão com o pai que se esforça nestes dias para que eles sintam o menos possível a falta da mãe. É verdade que me custa sempre ir e me sabe muito bem regressar, mas enquanto estou de viagem estou bem, e muitas das vezes até estou muito bem.

Se há metade de mim que lhe custa ir, há também a outra metade que quer sair, sentir, conhecer, ser, estar, saborear, viajar, e que me faz de certa forma, sentir privilegiada por poder escolher fazê-lo.

verao2017 388

Também poderão gostar de ler sobre a última viagem que fizemos os 5: Os Cinco em Cinque Terre

2 thoughts on “Seis dias em viagem, sem eles

  1. …assim que cheguei ao aeroporto… primeira paragem…”Press”! Cheguei à conclusão que só vale a pena comprar revistas, quando viajo…sozinha! Comprei 2 ( Exame e Visao), consegui le las do inicio ao fim, ainda a viagem ia a meio… Para que entendam isto é a mais do que o que li nos ultimos dois anos ( excepto quando viajo sozinha!)

    in….Cenas das Maes que viajam em trabalho by Joana Silva Lopes. lol

    Liked by 1 person

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

w

Connecting to %s