Há sempre tempo para a morte

Ela chega, quase sempre, sem avisar e nós paramos tudo para a receber, sem sequer lhe pedirmos para esperar. (Des)marcamos viagens, cancelamos reuniões, adiamos planos e faltamos a compromissos. Fazemos de tudo para marcar presença porque para a morte, ao contrário da vida, não há desculpas para não estar. Ela chega e nós largamos tudo…

Na terra da minha avó

No domingo passado fomos a Alcanede. A terra da minha avó Albertina. Sempre que oiço ou digo o nome da minha avó as saudades aumentam. Um nome tão bonito e tão pouco usual. Fomos desafiados pelo Padre Vicente para darmos o nosso testemunho de família católica. Mesmo sendo um fim-de-semana de recolha quase obrigatória, não…

recordar [para não esquecer]

Gosto muito de voltar a memórias antigas, algumas tristes, muitas felizes que me lembram como as felizes em tanto têm sido superiores. Hoje de manhã, ainda tapada e enroscada no edredão, quando o despertador do Zinho tocou, lembrei-me da casa de férias que o meu sogro em tempos teve em Altura. Antes nos casarmos passámos…